sábado, 13 de setembro de 2008

Crítica: Nicolas Cage protagoniza refilmagem dos irmãos Pang

"Perigo em Bangcoc" chega aos cinemas nesta sexta-feira (12).
Dupla de cineastas chineses dirigiu "Visões" e "Assombração".


Foto: Divulgação/Divulgação
Divulgação/Divulgação
Na trama, Nicolas Cage interpreta Joe, um assassino de aluguel solitário (Foto: Divulgação)

Os irmãos chineses Danny e Oxide Pang ficaram mais conhecidos no ocidente por filmes de terror como "Visões" e "Assombração". No entanto, a dupla é responsável por produções de diversos gêneros em seu país, incluindo o policial "Perigo em Bangcoc", que ganha agora uma refilmagem americana estrelada pelo ator Nicolas Cage. O filme chega aos cinemas do Brasil nesta sexta-feira (12).

Assinada pelo roteirista Jason Richma (da comédia policial "Em má companhia"), a história mostra a vida de Joe, um assassino de aluguel solitário. Com narração em off, o protagonista conta um pouco de seu obscuro cotidiano sem laços sociais ou família. Enfim, como é viver sem qualquer contato com pessoas, exceto as que estejam em seus últimos suspiros.

Em sua nova missão, Joe é enviado a Tailândia para eliminar os inimigos de um perigoso criminoso local. Para ajudá-lo, ele contrata os serviços de um trapaceiro pé-de-chinelo Kong (Shahkrit Yamnarm), que fará o papel de intermediário, sem saber, entre a máfia tailandesa e o misterioso assassino internacional.

Paixão

Com o desenrolar da trama, a posição de Joe fica comprometida graças aos três conflitos que o personagem enfrentará: ele subitamente passa a ter valores éticos, se apaixona por uma moça portadora de deficiência auditiva e apadrinha Kong, tornando-se seu mentor.

Ele passa de frio e impiedoso assassino a uma pessoa amargurada por sua própria sina e sensível aos mais recorrentes apelos de solidariedade. Uma guinada cabível se não fosse a irregularidade do roteiro e a má interpretação de Cage, cujas expressões homogêneas parecem sair das cenas finais de "O senhor das armas" (2005).

A relação entre Kong e Joe é confusa, a paixão entre o protagonista e a vendedora de remédios soa absurda e a adoção de princípios morais surpreende até para o personagem. Faltam peças no roteiro de Jason Richma que possam indicar as transformações de Joe e dar alguma credibilidade ao que se vê na tela.

O "Perigo em Bangcoc" original, vencedor do prêmio da crítica no Festival de Toronto de 2000, era mais cuidadoso na construção psicológica de seus personagens e em sua estrutura narrativa.

2 Comentários:

PlanetaCelular disse...

Parabéns pelo blog.. excelente.

Podemos trocar links com o cineplaneta.blogspot.com

abs
Paulo

PlanetaCelular disse...

caro amigo

o link está sendo divulgado no blorool do cineplaneta

abs
Paulo Araujo

Related Posts with Thumbnails

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO